TAG DOS 50% (2021)

Olá a todos! Não é que já passamos do mês de junho?

Aqui vai um pouco do que li até agora. Como fiz em 2019 e 2020, esse ano também vou responder a TAG dos 50%.

>> Todos os créditos estão no rodapé do post. Esse ano não vou indicar ninguém diretamente, mas se você gostou da ideia, sinta-se livre para responder também 😉

Vamos lá!

1 – O melhor livro que você leu até agora, em 2020?

Vou responder com dois:

O Quinze, de Rachel de Queiroz que história linda e tocante. Amei tudo no livro: os personagens, a narrativa, a questão histórica, e principalmente a oportunidade de algumas reflexões durante a leitura.

Plena Satisfação em Deus, de John Piper esse é um livretinho fininho, um resumo de um livro maior do Piper, mas muito bom. Foi uma benção ter lido, recomendo demais.

2 – A melhor continuação que você leu até agora.

Não estou lendo nenhuma série.

3 – Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.

Deixe-me Ser Mulher: Lições À Minha Filha Sobre O Significado De Feminilidade, de Elisabeth Elliot. Finalmente traduzido e publicado no Brasil pela Editora Fiel \o/

4 – O livro mais aguardado do segundo semestre.

Eu não sou muito de acompanhar lançamentos. Minha atenção está mais nos sebos do que nos “novos”, se é que você me entende. Todavia, quero muito esse: Paixão e Pureza, também da Elisabeth Elliot, pela Editora Fiel.

5 – O livro que mais te decepcionou esse ano.

Com certeza A Outra da Casa de Sophie Hannah. Um romance policial de fôlego – 464 páginas – que fui ler para me distrair um pouco, mas que passei foi raiva – muita! Esse tijolinho entrou para o meu banco de memórias como um dos livros mais confusos que já li.

6 – O livro que mais te surpreendeu esse ano.

Canção de Ninar, da Leïla Slimani – pelos comentários eu pensava que era bom, mas realmente não estava preparada para que fosse tão bom e posso dizer, profundo nas questões que trata.

7 – Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).

Rachel de Queiroz – depois de “O Quinze” quero ler tudo que essa mulher escreveu, e fiquei sabendo que a biografia dela está sendo escrita, quero ler também.

8 – Sua quedinha por personagem mais recente.

Me recuso.

9 – Seu personagem favorito mais recente.

Conceição de O quinze – me identifiquei muito com essa personagem e, gostei muito da maneira como a figura “Conceição” ao longo da leitura foi me inspirando e se tornando tão real para mim.

10 – Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.

Chorar não, mas fiquei bastante emocionada em alguns momentos da leitura da biografia da Madre Teresa, outro livraço que li esse ano. (Se você me acompanha nesse blog, sabe que é uma constante eu me emocionar com biografias.)

11 – Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.

A releitura de Can I Have Joy In My Life? de R.C.Sproul. Ler Sproul é sempre incrível e esse livreto sobre a alegria é e foi muito importante nesse ano também, para que eu relembrasse sobre a verdadeira alegria.

12 – Melhor adaptação cinematográfica que você assistiu até agora.

Se eu tiver assistido a cinco filmes nesse primeiro semestre foi muito. Então…

13 – Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).

Gostei muito de escrever sobre a biografia da Madre Teresa. Clique aqui para ler 😉

14 – O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.

Direto do Sebo:

(acho que empolguei no desfoque da câmera do celular =| )

15 – Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?

Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis

Quase Memória, de Carlos Heitor Cony

O incrível poder da motivação, de Noélio Duarte [terminar]

Procrastinação, de Lilian Soares

Seis sermões contra a preguiça, de Tiago Cavaco

E mais alguns 😉


Créditos: A Tag original foi criada pela Chami do canal Read Like Wild Fire e quem traduziu foi o Victor do canal Geek Freak.

*Imagem Cabeçalho: Yaroslav Danylchenko

3 comentários em “TAG DOS 50% (2021)

  1. Oii!

    Eu lembro de Paixão e Pureza ser citado pelo Joshua Harris (“Eu disse adeus ao namoro” e “Garoto encontra garota”)… E eu nem imaginava que era escrito por uma missionária com uma história de vida tão impactante (que estudamos recentemente)! Quer saber outra coincidência que mostra que o mundo literário é pequeno? Feminilidade Radical (que você me indicou a ler em grupo recentemente) foi escrito por uma amiga de Joshua Harris, que escreveu um livro chamado no Brasil de “Solteira e Feliz”, mas que tem o nome original mais parecido com” Eu disse adeus ao casamento”, para fazer uma brincadeira com o nome do livro do Joshua.
    E o que isso quer dizer?

    Nada….

    Além de que : pessoas legais leem pessoas legais. E tem amigos legais.

    Fui longe….

    :*

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s