Seus dias estão contados de John Perretti #95

Estou com esse livro em mente desde o último domingo. Li Seus Dias estão contados lá em 2015 e nunca esqueci da essência do seu conteúdo: a dura verdade de que o nosso tempo não é realmente nosso, mas de Deus. Durante essa semana compartilhei algumas citações dele no Instagram e hoje resolvi resgatar minhas impressões de leitura direto de 14/02/2015 😉


Edição Monergismo 2014

Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.” (Salmos 90:12)

Meditei muito sobre esse versículo ao longo de 2014. O Salmo 90 escrito por Moisés, como muitos outros textos da Palavra de Deus, traz a tona algo que não gostamos muito de pensar sobre: a brevidade da vida. Lembro-me então, que em meados de outubro daquele ano, o George do Geolé, publicou no Facebook alguns livros que ele estava vendendo e “Seus dias estão contados” estava entre eles. Assim que li o título e subtítulo: Um exame sobre o gasto do nosso tempo e a eternidade diante de nós; fiquei super interessada. No mesmo instante entrei em contato e comprei o livro. Quando chegou a surpresa: o autor destacou exatamente esse versículo na folha de rosto do livro.

Seus dias estão contados é um livro curto de apenas 124 páginas, mas de um conteúdo prático incrível. O assunto principal é o tempo. E tempo para John Perritt (e eu concordo com ele) não é dinheiro como diz o dito popular, tempo é vida! 

“Você pode ser a pessoa mais rica do mundo e, ainda assim, não pode comprar mais tempo. A realidade é que há um relógio correndo em algum lugar, neste momento, e é o relógio da sua vida. Neste instante, segundos que se tornam minutos, que se tornam horas, que se tornam dias, estão sendo riscados de sua vida.” (pg.11)

A verdade é que não temos controle sobre o tempo, e de fato “o nosso tempo não é realmente nosso, mas de Deus”.

Quando paramos para meditar a respeito da brevidade da vida e de como desperdiçamos tempo, podemos sentir uma certa ansiedade e até angústia. John Perritt prevendo esse sentimento, ao abordar o assunto propõe um fundamento bíblico a respeito disso: só houve uma pessoa que não desperdiçou um segundo sequer da sua vida terrena, Jesus Cristo. E Jesus não só morreu a nossa morte, mas viveu a vida que deveríamos viver, e isso é, uma vida que realmente glorificou a Deus. Jesus redimiu o nosso tempo!

Redimir (dicionário Aurélio)  – obter novamente; isentar; libertar; resgatar; reconquistar aquilo que havia perdido; readquirir; fazer esquecer; compensar; remir.

Edição Monergismo 2017

Partindo da problemática do tempo e desse importante fundamento, em três sessões o autor analisa o assunto e sugere alguns passos práticos.

Na Sessão 1, Do que são feitos nossos dias, o autor busca responder a pergunta: “O que é um dia?” e ele o faz a partir da ideia do tempo, ou seja, um dia é composto de vinte e quatro horas, mas então, “o que é o tempo?” E no discorrer de cinco capítulos ele faz-nos meditar sobre “em que” realmente consiste os nossos dias ou o nosso tempo: passatempos, objetivos triviais, muitas ocupações etc.

Já na Sessão 2, Praticas bíblicas que auxiliam nossos dias, são considerados alguns conceitos bíblicos que podem nos ajudar a contar os nossos dias. Essa sessão é composta por três capítulos e no último deles “O som do silêncio – A necessidade da solidão e reflexão” o autor cita um trecho (que gostei muito), do livro “Vermelho como sangue”, de Joe Coffey e Bob Bevington:

“Normalmente, não sou bom com a solidão. Não conheço muitas pessoas que o sejam. O problema é que estamos acostumados demais com o barulho. Temos rádios, Tvs, notebooks, celulares e iCoisas. De vez em quando, preciso me afastar e encontrar o silêncio. Venho aprendendo que o silêncio é algo que você deve procurar e que, quando finalmente encontra, pode ser quase ensurdecedor. Não pouco tempo atrás, saí em busca de silêncio. Encontrei-o em um muro de pedra. Apenas me sentei no muro respirando, olhando ao redor e, finalmente, comecei a senti-la. A angústia. Acho que o barulho impede as pessoas de senti-la. E é por causa dessa angústia que, por exemplo, não podemos nem sair para uma caminhada sem fones de ouvido disparando distração em nossos cérebros.”

Finalizando, na Sessão 3, Contando seus dias na prática, Perretti cita algumas disciplinas espirituais necessárias e inegociáveis para contar os nossos dias. De uma forma muito clara ele expõe a importância de examinar e estruturar nossas vidas na ordem: relacional, vocacional e recreativa. Não sabemos quantos dias nos restam, e essa verdade ao invés de causar-nos medo e ansiedade, deverá fazer-nos mudar o foco, mudar as nossas prioridades. Uma mentalidade constante da brevidade da vida, nos ajudará a não se deixar levar pela rotina, que faz-nos esquecer de quão preciosa a vida é, pois “ter uma abordagem de dias contados ajuda-nos a manter o foco”.

Como percebido, eu gostei muito do livro e realmente recomendo a leitura. É mais um exemplo que um livro curto, pode sim, trazer muito conteúdo. Para quem se interessar em comprar, acesse o site da editora aqui.


+INFO  Livro: Seus dias estão contados: Um exame sobre o gasto do nosso tempo e a eternidade diante de nós | Autor: John Perritt | Editora: Monergismo, 2014 | Tradução: Josaías Cardoso Ribeiro Júnior | 124 páginas

Classificação: 4/5

Compre: Amazon | Estante Virtual

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s