3 livros das mulheres na Reforma Protestante

Olá a todos! Aproveitando o mês de outubro, que é o mês de comemoração da Reforma Protestante, resolvi indicar três livros que retratam cada um a seu modo, o papel das mulheres na reforma.

Grandes Mulheres da Reforma, de James I. Good (Knox Publicações, 2009):

Essa foi uma leitura mais recente, li esse ano, e realmente é um livro muito interessante. Dividido em quatro capítulos, cada um dedicado as histórias de mulheres da reforma de um país: Suíça, Alemanha, França e Itália. São treze relatos ao todo mais um sobre a esposa de Lutero “Katharina Von Bora”, acrescentado pelos editores. Na diversidade de contextos e formas diferentes de envolvimento dessas mulheres com a reforma em seus países, e mesmo de suas personalidades e dons tão específicos, o leitor tem a oportunidade de perceber a amplitude e profundidade das mudanças religiosas, sociais e pessoais, que esse grande movimento da fé reformada provocou no século XVI. Tal movimento foi marcado por uma extraordinária coragem e determinada fé de muitos homens e mulheres, que mesmo diante da morte não voltaram à trás ou negaram o seu Senhor. Sem dúvida uma leitura inspiradora.

A Feminilidade Bíblica e a Esposa de Lutero, de Valdecélia Martins (Fé Reformada, 2017):

Este livro é bem o que o título sugere, a autora ao trabalhar o assunto da feminilidade bíblica, buscou na biografia de Katharina Von Bora um exemplo prático principalmente no que diz respeito a maternidade e auxílio. E temos nesse ponto evidentemente, a atuação de uma das grandes mulheres da reforma que embora ela não tenha escrito ou pregado nenhum sermão, seu papel como esposa e mãe dentro do seu lar, possibilitou que seu esposo fizesse o que poucos fizeram na História da Igreja. Contudo, o grande ponto desse livro quanto a atuação das mulheres na reforma está no primeiro capítulo “A Reforma Protestante e a Mulher”, em que a autora conta um pouco da revolução que os ensinos de Lutero causaram na vida das mulheres que até então, ocupavam um espaço bastante restrito na sociedade: casa, convento ou prostíbulo. Ela explora a visão de Lutero em relação as mulheres, isso é, não só o que sua pena escreveu, mas suas próprias atitudes principalmente em seu casamento; defendendo como a reforma resgatou o e padrão bíblico de feminilidade, portanto o próprio valor da mulher.

A Primeira-Dama da Reforma, de Ruth A. Tucker (Thomas Nelson Brasil, 2017):

Para finalizar, não poderia deixar de fora esse livro que por mais controverso que seja por conta do tom feminista da autora, ainda é uma leitura muito interessante e importante para aqueles que perseguirem esse assunto. A proposta da Tucker foi traçar algo perto de uma biografia de Katharina Von Bora, como já mencionado nesse post, a mulher considerada como uma das mais importantes da Reforma. Porém esse livro vai além, trazendo muitas curiosidades ou “supostas curiosidades” (o leitor terá que decidir isso) sobre a vida familiar desse casal tão peculiar, como do próprio movimento da reforma, e também sobre a vida de outras mulheres da época. Foi nesse livro também, que encontrei um relato mais completo sobre os dias finais e a morte de Katharina.

Participe do meu Canal do Telegram

2 comentários em “3 livros das mulheres na Reforma Protestante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s