Retrospectiva Literária 2021

Esse início de ano está sendo mais difícil voltar a escrever no blog. Já até rascunhei uma nova postagem, mas não saiu. Pensei então em tentar rever o que foi em termos de leituras o estranho ano de 2021. O resultado é esse post que sinceramente gostaria de ter escrito nos inícios de ano passados.

LIDOS 2021

Livros

O sofrimento nunca é em vão, de Elisabeth Elliot (5)
– Madre Teresa: tudo começou na minha terra, de Cristina Siccardi (4)
– O Poder disponível do Louvor, de Kenneth Erwin Hagin Junior (2)
– Sobre Divórcio e Separação Para o Cristão, de Richard Baxter (3)
– Plena Satisfação em Deus, de John Piper (5❤)
– Can I Have Joy In My Life? de R.C.Sproul (5)
– Puedo tener gozo en mi vida? de R.C.Sproul (5)
– O Quinze, de Rachel de Queiroz (5❤)
– O sentido último da verdadeira feminilidade, de John Piper (5)
– Mentiram e muito para mim, de Flavio Quintela (4)
– Quebra de Confiança, de Harlan Coben (3)
– Canção de Ninar, de Leïla Slimani (5)

– Prólogo, Ato, Epílogo; de Fernanda Montenegro (4)
– A outra casa, de Sophie Hannah (1)
– Dossiê Getúlio Vargas, de Daniel Rodrigues Aurélio (5)
– Recomeçar, SBB (4)
– Quase memória, de Carlos Heitor Cony (4)
– A benção de ser solteiro, de Gary Haynes (3)
– Grandes Mulheres da Reforma, de James I. Good (5)
– A Heroica Ousadia de Martinho Lutero, de Steven J. Lawson (5)
– Passo de Esperança, de Clemente de Lolo Filho (3)
– O Abrigo, de Nora Roberts (3)
– Cartas Portuguesas, de Mariana Alcoforado (5)
– Aniquilação, de Jeff VanderMeer #1 (2)

Contos

Então se verão, de Emilio Garofalo (4)

Sermões

Getsêmani, sermão nº 493, Charles Spurgeon (5)
– Uma visita ao sepulcro, sermão nº 1081, Charles Spurgeon (5)

Algumas curiosidades registradas pelo Skoob:

O maior livro: A outra casa com 464 páginas.
O menor livro: O sentido último da verdadeira feminilidade com 10 páginas, um artigo na verdade.
Mais popular: Quebra de Confiança, de Harlan Coben
Menos popular: Passo de Esperança, de Clemente de Lolo Filho
Releituras: Can I Have Joy In My Life? e O sentido último da verdadeira feminilidade.
Abandonados: Procrastinação, de Lilian Soares; A Filosofia explica Bolsonaro, de Paulo Ghiraldelli; Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto; A Grande Gripe, de John M. Barry e A rota antiga dos homens perversos, de René Girard.


AS MELHORES LEITURAS DE 2021

No próximo post comentarei um pouco sobre cada uma delas, por hoje fica somente a citação e indicação de leitura:

O sofrimento nunca é em vão, de Elisabeth Elliot (5)
Madre Teresa: tudo começou na minha terra, de Cristina Siccardi (4)
♦ O Quinze, de Rachel de Queiroz (5❤)
Canção de Ninar, de Leïla Slimani (5)

Menção honrosa para Plena Satisfação em Deus do John Piper, e Prólogo, Ato, Epílogo, o livro de memórias da atriz Fernanda Montenegro.


AS DECEPÇÕES DO ANO

É possível que eu também comente mais no próximo post, mas por enquanto fica o aviso de pare – você pode perder seu tempo com esses livros.

A outra casa, de Sophie Hannah (1)
Aniquilação, de Jeff VanderMeer (2)

*Os números entre parênteses logo depois dos títulos referem-se as notas dadas à época da leitura de 1 a 5.

Créditos imagem: WILLIAM-ADOLPHE BOUGUEREAU

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s